Pesquisa personalizada

Jacytan Melo Produções_Atrações Exclusivas_2013/2014

quarta-feira, 4 de junho de 2008

Edmilson Bahia de Oliveira - Trombone

Um músico sempre deixa sua marca quando executa um solo certo na hora certa. Pode ter certeza, irá deixar sua marca para sempre. Já ouvi muito trombonista, já toquei com alguns, tenho alguns que jamais esqueço e estou sempre a procura de trabalhos deles pelas lojas e Internet.

Já algum tempo tive a oportunidade de ouvir um trombonista executando um solo que ficou marcado, a música foi Balaio de Gato, da banda Zeroballa, e o cara é o Edmilson Bahia, que muito me impressionou pela maestria em poucos segundos.

Mas quem é Edmilson Bahia?

Edmilson Iniciou seus estudos de trombone no Conservatório Dramático Musical “Dr. Carlos de Campos”, no ano de 1995, com o professor Irineu D. Gregório. Estudou ainda com os professores Gilberto Gagliardi, Marcelo de Jesus da Silva, Darrin C. Milling e, no ano de 2003, concluiu o curso de trombone com o professor Alan de Lima Palma. Teve a oportunidade de participar em vários festivais e cursos com professores de renome, dentre eles Joseph Alesi, Roger Rocco, Canadian Brass, Marvim Stam, Ed Sarath, Neels Neegard, Martin Winigier, Hudson Nogueira, Nahor Gomes, Dale Underwood, Daniel Barry e Fred Mills.

Edmilson realizou importantes apresentações sob a regência de conceituados nomes na área musical internacional, como Lazlo Marosi, Arnold Gabriel, Virgínia Allen e Richard Markson. Participou da gravação dos CDs da Big Band “Prata da Casa” (Raízes, Tradição e Extensões) e da Orquestra de Sopros Brasileira (Compositores Brasileiros e Arranjadores Brasileiros). Foi professor de trombone nas oficinas do Pró-Bandas nos anos de 2000, 2001, 2003, 2004 e 2005. Atualmente é primeiro trombone da Orquestra Sinfônica Paulista, sob a regência de Adriano Machado, e integra corpo docente do Conservatório de Tatuí. Um dos maiores destaques foi com a participação na gravação da banda Zeroballa, fazendo um solo bem especial na música "Balaio de Gato".

Melhor do que falar é ouvir o acústico Zeroballa, confira: