Pesquisa personalizada

Jacytan Melo Produções_Atrações Exclusivas_2013/2014

sábado, 1 de janeiro de 2011

Doug Wimbish, a simplicidade de ser

Nada mais aborrece quando se encontra indivíduos que, quando pegam em seus instrumentos acham-se os maiores danadões. Costumam ouvir os músicos mais consagrados e seguem imitando-os nos mínimos detalhes, perdendo a chance de criar seus próprios estilos, em cima do que já foi criado.

Iniciei essa matéria fazendo essa observação, depois que li uma reportagem com o contrabaixista Doug Wimbish, onde ele critica as ações dos músicos copiadores.

Quando você ouve Doug falar não tem que fique impressionado com o seu carisma. Palavras pitorescas e frases vibrantes saem de sua boca com muita facilidade, enriquecendo com isso ainda mais sua sabedoria musical. Autor de potentes e hipnóticos grooves faz qualquer um dançar de maneira incondicional.

Em entrevista concedida ao repórter Chris Jisi, da revista especializada em contrabaixo Bass Player, indaga sobre a atuação de Doug em muitas bandas e estilos musicais diversos, e como foi possível encaixar os grooves em todos eles. O baixista, em sua sabedoria, responde: " O segredo está em ouvir de tudo, principalmente antes de tocar. Na maioria das vezes, as pessoas começam a tocar achando que vão se encaixando aos poucos, mas é fundamental parar e ouvir", continuando, "é preciso dar uma pausa e perder um minutinho para apenas escutar, prestar atenção nos que os outros grandes baixistas que dominam um determinado estilo fazem e armazenar esse ensinamento. No meu caso, tenho uma coisa desde início, sem qualquer tipo de preconceito." Outro fator fundamental são as influências.

O ponto alto da entrevista é quando ele fala: "eu me considero uma espécie de alter-ego de todos os baixistas. Depois de ouvir certas coisas, fico pensando de que maneira Anthony Jackson tocaria aquilo, como o Victor Balley faria determinado som... Há inúmeros baixistas que contribuíram de maneira decisiva para que o baixo se tornasse uma forma de arte, e eu sou o resultado daquilo que ouvi de cada um deles... Sou um cara aberto e "pé no chão" o tempo todo", conclui.

Em 2004, Doug Wimbish, juntou-se ao Living Colour, uma das primeiras bandas negras de rock e lançaram um disco o Collideoscope, misturando rock, funk, drum n'bass e Nu metal. 

Veja o vídeo com o magnífico Doug e o seu groove hipnotizante. Bass Groove - Doug Wimbish



Doug Wimbish - Terrorism


__________________________
2011 - O ANO DA MÚSICA
Jacytan Melo Produções
(81) 8645-1475
(81) 8122-9204
twitter.com/jacytan